15
Set
11

um outro olhar

Atreva-te se podes, ambiente criado por Encarna Romero Barella para a Casa Madri 2010, em Madri, convida os visitantes a ultrapassar as rígidas fronteiras do bom gosto convencional

Tenho feito o exercício  de me  permitir um outro olhar para tudo, inclusive para o espaço  que me rodeia . Um novo olhar, sem críticas, nem ironias, mas que me traga abrangência, abundância e generosidade! Sensação de janela aberta. Brisa alvissareira arejando  meus pulmões.

Sentir-me atraído pela transformação. Compreender as diferenças.  Queimar preconceitos feito sutiãs. Deletar filmes e lugares que já não  tem mais nada a dizer. Limpar espaços, rever  idéias. Carimbar o visto de saída do velho, que ainda se impõe vigoroso e  forte e amparar com força o novo,  que chega inseguro e tímido.

Muito já se falou sobre  o espaço enquanto suporte da arquitetura.  Nesse tempo todo, só consegui puxar uma pequena ponta desse gigantesco iceberg  – o espaço não é só físico, mas um mix de informação. Traz várias sensações e interpretações. Nada é exatamente o que parece. Cabe a nós desvenda-lo exercitando outros sentidos. Ir além.  Investigar o   que  ele revela, o que esconde.

Minimal, brega, descolado, chique ou modernex,  nada pode ser forçado.  Só funciona se tem alma e for  preenchido pelo calor e pela energia de quem  o habita.   Sabe quando o ser humano é mais feliz? Quando ele não precisa mais provar nada a ninguém. Transita  com desenvoltura  por sua própria taba.

Um pilar descascado, revelando a  textura e a estrutura do concreto, um móvel que traz história, uma parede com a herança do revestimento anterior. Uma peça antiga que só faz sentido para quem  mora ali, ou até mesmo  um brazão da família em cima da lareira!!  Enfim   histórias! Somos feitos das nossas histórias,  que podem ser essenciais,  e não pesados fardos.   Histórias  pontuam nossa vida. O espaço, é  o palco onde se desenrola a nossa história .

Descobri que existe uma estética na imperfeição. Descobri que posso me apropriar dela,  desde que não seja por preguiça ou incompetência. Apenas por identificação. A imperfeição  trabalha a nosso favor.  Ironicamente nos coloca em harmonia com o caus no qual  nos inserimos, e do qual não conseguimos sair . Somos, desequilibrados, esquisitos, insanos , mas extremamente  interessantes e com uma imensa capacidade de adaptação a qualquer circunstância.

O que dizer então, da cadeira “do papai”  que faz massagens nas costas, colocada em lugar de destaque,  como a mais envenenada das chaises? Quadros tipo “incêndio na floresta” envolvidos em efeito de luz, dando  a sensação de movimento? Sancas! Lustres mirabolantes, objetos estranhos quase bizarros… Essa,  foi a paisagem que se descortinou diante de mim, ao entrar na casa de pessoas que não via há anos, e que num gesto absolutamente generoso e simpático,   abriram  seu espaço, para uma confraternização, sem saber que me proporcionariam  um flasch back de mais ou menos quarenta anos. Cabeça, tronco e membros, totalmente mergulhados num túnel do tempo,  jogando luz sobre fatos que já nem lembrava mais.

Num rápido momento de pânico,  acionei meu replicante.  Recurso que lanço mão  para me substituir, quando farejo situações de alto risco, envolvendo enrrascadas/ programas de índio. Porém, meu fiel escudeiro, foi logo  tratando de me tranquilizar, sussurrando aos  meus ouvidos do alto de sua sapiencia : Relax brother, isso que você está vendo,   chama-se  autenticidade e estilo. Hoje você não vai precisar de mim.

Naquele ambiente,  que  aparentemente  não tinha nada a ver comigo, por puro preconceito, quase perdi chance de  passar  um dos momentos mais felizes da minha vida. Fellini estava lá e eu nem me dera conta.  Revi pessoas, lembrei de situações. Ri de mim mesmo. Me toquei que  história é a única bagagem que podemos carregar neste mundão, e de uma certa forma, minha história estava inserida naquele espaço.  Constatei que ali, embora diferentes da minha tribo,  vivem pessoas absolutamente tranquilas educadas, doces,  felizes e  cheias de personalidade e atitude.

Depois dessa sutil lição, recolhi a minha imensa cauda de crocodilo pré histórico, e descobri que existe vida além do meu próprio umbigo. Cada espaço revela uma emoção diferente.  Disso não tenho mais dúvida. Dei férias ao meu replicante pelos serviços prestados e cheguei à seguinte conclusão: A coisa mais moderna deste mundo, é ser autentico como aquelas  queridas pessoas,   que são donas do seu espaço, são extremamente felizes….e não precisam provar nada a ninguém.

Anúncios

0 Responses to “um outro olhar”



  1. Deixe um Comentário

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


autor/proposta

josé luiz leone, arquiteto/designer ARQBAR = BAR : balcão+serviço rápido+amigos+ camaradagem+bate papo+ descontração+ circulação de informações+pessoas+ aprendizado+relacionamentos +parcerias+divulgação de trabalhos+ cumplicidade+novidade+ informação+arte+arquitetura+design

Acessos

  • 118,402 acessos
Setembro 2011
S T Q Q S S D
« Ago   Out »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

Páginas

twitter

  • @MarceloTas O mais preocupante da renúncia de Bento XVI é Lula mudar os planos e querer ocupar a santa cadeira 4 years ago
  • a forma do som? wp.me/pqIMY-116 5 years ago
  • Ufa, segundo turno. Nos livramos do Netinho, mas infelizmente não do tiririca.Td bem vamos eliminando pouco a pouco 6 years ago
  • Olha aí o povo dano o recado nas urnas : lugar de pagodeiro e fazer show para quem gosta 6 years ago
  • RT @Ednad: A @locaweb informou que o "problema" pode se manter por 15 dias. Até lá muitos já mudaram para outro fornecedor. 7 years ago

%d bloggers like this: