29
Fev
12

piet, o pop

Cantavam por aí uma música, que dizia o seguinte: “O PAPA É POP.  Bobagem, só um jogo de palavras.  Principalmente se levarmos em consideração essa última figura em questão, que   não  tem deixado  muito  claro a que veio. Mera figura de decoração!!

Pop mesmo é Piet Mondrian, que imprimiu a força de suas imagens no imaginário do século XX.  Isso  fica comprovado através da perenidade de sua obra, que apesar de estar impressa em toda a sorte de utensílos objetos, vestuário, arquitetura, e o que mais se puder imaginar,  não se desgastou. Muito pelo contrário, se fortaleceu como um imbatível ícone Pop.

Embora ache que o novo é sempre bem vindo,  e   este espaço se constitui no único lugar que eu determino onde nasce o sol,  me dou ao luxo de postar aquilo que  faz meu coração bater com a força de um rio bravo.   Mondrian , claro, não é novidade para ninguém, mas  para mim, desde a primeira vez que colei minha retina em sua obra, já  bateu como novidade .  Sempre me intrigou bastante –  e o que me intriga, me fascina!  Viajo naquelas linhas pretas como se caminhasse pelas ruas  da grande cidade a procura de informação. Sempre encontro alguma.

Vi  no MoMA de NY,  lá por 1995, uma das mais completas mostras de sua obra.  Tive o privilégio de acompanhar, nessa exposição,   sua trajetória, com precisão, desde seus primeiros passos,  na Holanda, onde embarcou na carreira artística, apesar de todas as objeções de sua família, até a chegada em  NY,  absolutamente  seduzido pelo jazz , pela efervescência da metropole, com suas luzes, cores  e movimento.  É impressionante observar  o que norteou sua obra :  a procura da sintese que se   traduziu de forma definitiva  na série   Broadway Boogie-Woogie.

Se tivesse que colocar dentro de um conteiner tudo que fez minha cabeça, até hoje, com certeza, contaria  com o auxílio luxuoso de Piet.

Só para teminar, me lembro que um pouco antes de embarcar  naquela  viagem a NY, li um artigo do saudoso Paulo Francis na   Folha de São Paulo,   arrebatado com a exposição que acabara de ver no MoMA.  Dizia que Mondrian, se confundia com a paisagem de NY.  Entre outras coisas, relatava que ao chegar pela primeira vez na cidade  e  avistar a ilha de Manhattan, “Jamais havia se recuperado daquela paisagem”  e Mondrian tinha muita culpa nessa história.

Humildemente me aproprio das palavras de Francis.

Por essas e outras, entre  Papa e Piet, quem é mais Pop? Minha resposta com certeza nem preciso dizer. E a sua qual é?

Anúncios

0 Responses to “piet, o pop”



  1. Deixe um Comentário

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


autor/proposta

josé luiz leone, arquiteto/designer ARQBAR = BAR : balcão+serviço rápido+amigos+ camaradagem+bate papo+ descontração+ circulação de informações+pessoas+ aprendizado+relacionamentos +parcerias+divulgação de trabalhos+ cumplicidade+novidade+ informação+arte+arquitetura+design

Acessos

  • 118,188 acessos
Fevereiro 2012
S T Q Q S S D
« Jan   Mar »
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
272829  

Páginas

twitter

Erro: Twitter não está a responder. Por favor espere alguns minutos e recarregue esta página.


%d bloggers like this: